LEITURA,

Leitura - A Desumanização

Daniela Filipe Bento Daniela Filipe Bento Seguir 4 de dezembro de 2013 · 1 min read
Partilha

“A Desumanização” é o segundo livro de valter hugo mãe que leio (o primeiro foi “O filho de mil homens”). Fiz questão de adquirir este livro, dado que esperava uma óptima leitura. Não me enganei. O livro é fabuloso, desde a primeira à última página. As palavras parecem mais refinadas do que a minha anterior leitura, talvez por já estar a interiorizar a escrita do autor.

Neste livro somos levados para uma pequena aldeia nos fiordes islandeses. Relata-nos, na primeira pessoa, a vida da criança meio morta, a criança meio viva pela alma da irmã gémea. A descrição primeira da vida por oposição à morte, o destino escuro, longe que é a morte.

Ao seu estilo, valter hugo mãe apresenta-nos um livro magnífico, uma história cheia de significado, a beleza das metáforas usadas é incrível, a visão é plena. Somos levados para dentro do nosso coração, para os recantos mais obscuros da nossa visão do próximo e da morte. Um livro marcado pela pura tristeza, talvez a descrição mais magnifica que vi ao nosso “eu possesso de morte”.

Este é um daqueles livros a não perder, um lançamento magnifico numa época em que se confunde o material com o metafísico, numa época em que a morte, a perda e a tristeza ganham novos significados. Espero do próximo romance do autor algo tão bom quanto este, pois a vontade de ler os seus livros é cada vez maior.

“Estar morto deve ser inteligente. A morte deve ser pura inteligência. Não acredito que existam mortos burros. Deus não ia guardar paciência para ter com ele almas burras.”

Desejo óptimas leituras,

Daniel Bento

Daniela Filipe Bento
Escrito por Daniela Filipe Bento Seguir
escreve sobre género, sexualidade, saúde mental e justiça social, activista anarco/transfeminista radical, engenheira e estudante de astrofísica