LEITURA,

Leitura - A Pianista

Daniela Filipe Bento Daniela Filipe Bento Seguir 12 de maio de 2014 · 1 min read
Partilha

A Pianista é um livro de Elfriede Jelinek (prémio Nobel de Literatura, 2004), nasceu em 1946 na Áustria e é romancista, dramaturga e ensaísta. Esta foi a primeira obra que li da autora, também uma das mais conhecidas, a qual adorei.

Nestas páginas somos conduzidos pela história de Erika, uma mulher de 36 anos, professora de piano. Vive com a mãe, dorme na mesma cama que ela, não fuma, não bebe, cresce para o piano do mesmo modo que as teclas deste sobrevivem para a música. Erika é uma representação clara da frustração de uma vida e os seus alunos no Conservatório de Viena são, por sua vez, o seu alvo ideal. Rapidamente é dado a conhecer um lado mais obscuro da capital austríaca. No entanto, o domínio da capacidade de se relacionar é totalmente modificado com a presença de um aluno, 15 anos mais novo.

Pessoalmente, achei este um dos melhores livros traduzidos que li até hoje. Esta peça de Jelinek é bonita em todos os seus aspetos. Na escrita, no uso das palavras, na descrição da sociedade, na contestação, no enredo. Transporta-nos para uma realidade crua do mundo. Citando Claire Julliard:

“Pela sua crueldade e crueza, o romance de Elfriede Jelinek evoca certos quadros expressionistas de Kokoschka. Decadente, fim de século, irónico e arrepiante, ele provoca fascinação ou o repúdio, mas em caso algum nos deixa indiferentes”.

Incidindo claramente na visão social, na sexualidade feminina, na hipocrisia social, este é certamente um livro a não perder na estante. A ler e reler as vezes necessárias.

Existe uma versão adaptada ao cinema, também chamada de “A Pianista”.

Boas leituras, Daniel Bento

Daniela Filipe Bento
Escrito por Daniela Filipe Bento Seguir
escreve sobre género, sexualidade, saúde mental e justiça social, activista anarco/transfeminista radical, engenheira e estudante de astrofísica