Soam os sons dos sinos, a rua, deserta, caminha entre um ponto e outro ponto, a luz reflecte na água das poças que transitam entre as margens da calçada. Mais nada se ouve num raio próximo. Lá longe, imerso na escuridão, pequenos uivos de animais que circulam pelo seu habitat. O silêncio próximo reina.