"O menino era tão pálido que fazia lembrar um fantasma. Um espectro. Algo insubstancial que se desvaneceria. Era pequeno para nove anos, magro e de estrutura delicada. O seu cabelo era pálido como o luar, muito fino, muito liso. A sua pele era leitosa com um aspecto translúcido, como cera. Essa coloração significava que à distância ele parecia não ter sobrancelhas e pestanas, e isso apenas enfatizava a sua aparência efémera" - in Vozes Silenciosas, Torey Hayden