Ontem a escuridão abateu-se sobre mim. A escuridão formou uma neblina intransponível, deixando-me sem ver qualquer vislumbre de um caminho, sem ver qualquer luz ao fundo, sem ver qualquer momento passado. Ontem, ficar melhor passou a ser apenas uma crença que me estava a servir de bengala para sobreviver. Ontem, ficar melhor era uma ideia distante, muito distante. Ontem quis desistir, cansada, extenuada, incapaz… vulnerável… quis desistir. Queria que tudo parasse, tudo se fosse embora, queria que tudo desaparecesse. Ontem. Ontem a tristeza abateu-se sobre mim. Ontem queria que o mundo deixasse de existir. Queria paz, apenas.

Tunel

Hoje, apesar do cansaço, consegui sair duas vezes à rua. Consegui fazer micro tarefas, coisas pequenas, coisas que me alimentem o movimento. Que não me deixem desaparecer nos meus pensamentos. Neste momento estou cansada, apetecia-me deitar e ficar quieta, preferi escrever. Preferi soltar as minhas emoções e deixar que encontrassem o seu espaço aqui, nas palavras, na escrita e/ou na leitura. Emoções que oscilam entre estados distintos, saltam entre muros e paredes, saltam montanhas e atravessam rios e oceanos. Emoções que abraço.

Olho em meu redor, respiro fundo. Hoje consegui não me deitar à espera que viesse a noite, que viesse a hora de dormir. Hoje consegui manter-me acordada, com um resíduo de vida. Hoje foi mais uma vitória. Hoje foi mais uma vitória. O meu sono continua irregular, mas com esperança de vir a melhorar com um acerto de medicação. Acredito que o descanso irá fazer diferença, muita. Hoje consegui pensar que há uma saída, hoje vi qualquer coisa. Vi.

Durante vários anos, no passado, cheguei a ter crises que duravam meses. Crises que me levaram às emergências várias vezes. Crises que me debilitavam por imenso tempo. Nos dias de hoje conto com uma rede que me tem apoiado, que tem estado junto a mim, que me tem compreendido e ouvido os meus gritos interiores. Nestes dias tenho tido imensa gente ao meu lado, zelando pelo meu bem estar. Nestes dias tenho tido pessoas especiais, pessoas cheias de paciência para me ouvir, pessoas que vão buscar um pedaço da sua energia para me dar, ainda que lhes custe muito, pessoas que estão presentes das formas possíveis. Tenho-me sentido acompanhada. Agora que escrevo de uma forma mais lúcida, tenho percebido que consegui não ir tão fundo como já tive, consegui esta perspectiva ao fim de uns dias e não ao fim de uns meses. Consegui e devo ter orgulho nisso.

Não estou recuperada, não estou pronta, não estou ainda capaz de muitas coisas, mas pelo menos hoje tive uma visão reconhecedora do meu estado e daquilo que sou capaz. Hoje. Mais dias virão, a batalha não acaba, porque nunca acaba, mas escrevo estas linhas com uma vontade acreditar e sentir algo de melhor, mais positivo, mais construtivo. Escrevo estas linhas na clareza que ontem estava inundada pela tristeza, pela escuridão, pela dúvida e pelo medo.

Quero respirar fundo
Quero trazer tudo o que posso para cima
Quero rever os meus sorrisos
Quero rever as minhas brincadeiras
Quero rever tudo o que amo
Quero rever tudo o que me possibilita
Quero acreditar que vou ter força se o cansaço ainda me pregar rasteiras
Quero.

Vou agarrar-me com força, vou agarrar-me para não escorregar, vou agarrar-me com o corpo e mente. Vou.

Hoje foi um dia possibilitador, amanhã será outro dia. Mas hoje, consegui. Hoje respirei de alívio, sobrevivi. Hoje percebi que também posso, que também tenho direito, que também mereço. Hoje entendi-me melhor. Hoje sou um pouco mais. Hoje sou um pouco mais eu.

Porque quero ficar bem, porque quero recordar que os dias melhores também existem.

Dani

Imagem: Tunnel - Enrico Strocchi

Quando a ajuda é necessária...

É sexta feira, estou-me a sentir mal. Tenho dificuldades em estar no trabalho, arrasto-me para as aulas ao fim do dia. Começo a sentir-me...… Continue reading

As noites

Published on November 13, 2019

A lista de tarefas

Published on November 07, 2019