O Natal já passou e o Ano Novo está a chegar. Festiva, mas também uma época de reflexão, de olhar sobre o ano e de perspectiva sobre o ano seguinte. E, não sendo excepção, acabo também a reflectir um pouco nos tempos que têm passado, nas ideias e naquilo que vejo para o futuro.

Tudo é mais fácil. Hoje, não ontem, não anteontem, tudo é mais fácil. Na realidade, tudo parece mais fácil. Este é um pensamento de quem utiliza um simples blogue como meio de comunicação, um meio de conseguir exprimir as suas ideias, as suas visões e algumas conclusões do dia a dia. A comunicação, hoje, é mais fácil.

Expressão, Identidade e Orientação (e mais alguns) são termos comumente usados dentro da temática da sexualidade. Não irei usar a sigla LGBT, pois não queria escrever sobre comunidade nenhuma em particular. Estes termos tocam a todos, não são filosofias de vida, não são ideais. São definições que se ajustam a determinadas características. Partir da premissa que se deve falar em filosofia ou ideal de vida é, na minha opinião, errado.

É verdade, 3 anos... três anos. Fez hoje 3 anos que coloquei o meu primeiro pé no edifício da PT, em Picoas, para trabalhar com a equipa do SAPO Vídeos. Fez hoje 3 anos que comecei a conhecer a enorme família que tenho hoje. É com muito orgulho que falo de toda a equipa SAPO.

Geralmente, quando se retratam assuntos LGBT, fala-se nos direitos, nas diferenças, na existência e, fundamentalmente, no papel que se tem na sociedade fora da esfera intíma. Sendo um assunto sensível, é retratado de formas muito diferentes por pessoas muito diferentes. Não é disto que venho escrever, mas sim, sobre uma coisa essencial, o direito à indiferença (um termo a usar com algum cuidado).