September 20, 2019

Sento-me na cadeira, frente ao computador. Tenho vontade de escrever, mas não sei como, sou atravessada por uma série de pensamentos, de ideias, desilusões e mal estar. Um mal estar profundo, um mal estar que não me deixa pensar de forma estruturada, que não me deixa pensar com início e fim, apenas pensar e desiludir-me, apenas pensar e querer gritar mais alto. São gritos que vêm de dentro, do meu profundo estar. Da minha eloquência de existir. Tristes e não conformes com a realidade do mundo em que pertenço e em que vivo. Porque não quero este mundo, quero outro.

Manifestação feminista fez história em 1975

Sinto-me desiludida por fazer tão pouco.
Sinto-me desiludida por gritar tão pouco.
Sinto-me tão desiludida por tolerar demais.
Sinto-me desiludida por não chocar mais.

Sinto-me desiludida.

A cada dia que passa, penso mais na importância de estar na frente, de dizer não ao pacto com o sistema, viver fora dele, abandoná-lo
    Porque não o quero, não de todo.
A cada dia que passa, mais a convicção que este mundo não merece, não de todo.

A cada dia alguém morre, a cada dia, mais uma vítima da violência
    Patriarcal,
    Machista,
    Sexista.
A cada dia mais uma pessoa vítima directa ou indirectamente,
    física ou psicologicamente
    num sistema que promove a violência, o mau trato - o destrato.
A cada dia mais alguém que desaparece, que nos deixa.
A cada dia, mais uma de nós.

Digo uma de nós com a certeza de quem sou.
Digo uma de nós com a certeza de quem são as pessoas.
Digo uma de nós com a certeza de que nós somos as principais vítimas deste sistema.
Digo uma de nós com a certeza de que nós somos as armas da revolta
    da revolução e da criação de um mundo novo.
Digo nós, mulheres e todas as identidades não hegemônicas.
Digo nós, todas as que não se revêem neste sistema.
Digo nós, todas as que lutam pela sobrevivência.
Digo nós, todas as que empatizam com a dor da outra.

Digo nós, porque a revolução faz-se para todas…
Digo nós, porque a revolução é para o sistema destruir.
Digo nós, porque a revolução é para um novo mundo criar.
Não acredito na esperança,
Não acredito na boa vontade,
Não acredito na bonança,
Acredito na luta,
Acredito no cuidado,
Acredito.

Porque esperança é parar,
Porque boa vontade é ignorar,
Porque bonança é sonhar.

Aqui, hoje e sempre. Em luta.
Num amor construído para a revolta,
Num amor construído para um novo mundo.

Dani

Imagem: Manifestação feminista fez história em 1975 [Fotografia: Arquivo DN]

Estados Limítrofes

Estamos nos primeiros dias de julho e muito aconteceu nos últimos meses. Meses que foram ricos em sensações, em reflexões, em momentos de...… Continue reading

51 Anos de Stonewall

Published on June 28, 2020

Adormeço

Published on April 25, 2020